terça-feira, 29 de julho de 2014

20 anos sem Mussum.

Na data de hoje faz 20 anos que Mussum morreu.
Famoso humorista que fazia parte dos Trapalhões ele também foi músico e também dos Originais do Samba.
Numa época em que o termo pagode ainda não existia os Originais formavam um grupo de muito sucesso que fez muitas turnês fora do país e muito sucesso nas paradas.
Formado nos anos 60 por instrumentistas de escola de samba do Rio de Janeiro os Originais irradiavam alegria e serviam de grupo base para artistas do quilate de Elis Regina,Baden Powel,Jair Rodrigues e muitos outros.
Tinham como características principais o canto em uníssono,elaboradas coreografias,figurino incrementado e uma grande dose de humor que os fazia ter uma sólida base de fãs entre as crianças.
Mussum fez parte do grupo desde o inicio tocando seu reco reco e só abandonou o mesmo quando o sucesso dos Trapalhões começou a interrferir em seus compromissos com o grupo.
Listo abaixo 5 discos fundamentais do grupo que fez parte da trilha sonora da minha infância:

Os originais do Samba - Os Originais do Samba

Lançado em 1969 traz o primeiro sucesso do grupo:Cadê Tereza era uma composição de Jorge Ben que caiu como uma luva e incendiava as performances do grupo.

O Samba é de lei (1970)

Este disco já traz arranjos mais elaborados com muito sopro e sambas que acentuavam a irreverência do grupo.
Abre com outra composição de Jorge Ben(vem chegando fevereiro) e tem um samba inédito da dupla Roberto e Erasmo Carlos( eu queria era ficar sambando).
Um dos precursores do que viriamos a conhecer como Samba Rock.


O samba é a corda... Os Originais a caçamba.

Lançado em 1972 abre com No Lado Direito da rua Direita.Também tem coisas maravilhosas como Esperanças Perdidas e Lá Se Vão Meus Anéis.

Pra que tristeza?

Este disco de 1973 é um dos melhores.
Repleto de hits o sucesso do grupo era amplificado pela presença de Mussum no grupo humorístico Os Trapalhões que fazia muito sucesso na televisão.

Em 1974 Zacarias se junta aos Trapalhões que iniciam seu período clássico de sucessso de público na TV e nos cinemas.
Nesta época Mussum começa a se afastar gradativamente do grupo.
Mas não sem antes gravar este disco repleto de sucessos.
A Dona do Primeiro Andar está neste disco.

Para saber mais sobre a história deste inesquecível artista dá pra conferir este livro que foi lançado recentemente e faz um mergulho profundo na vida dele:

E aqui um dos quadros de maior sucesso do Mumu da Mangueira que virou febre no Youtube:

sábado, 26 de julho de 2014

Acenda o Farol

Em tupi guarani Anhagabaú deriva de anhangaba e significa malefício ou feitiço.
Este vale bem no centro da cidade de São Paulo funciona como um catalisador de energias.
Por ali existe tudo de bom e ruim que pode se encontrar em qualquer local em que circulam milhares de pessoas todos os dias.
Palco de manifestações,espetáculos culturais,drogas,assaltos,prostituição,comércio e todo tipo de sentimento é um lugar onde o entendimento do que é viver em SP fica mais evidente.
Bem onde acaba o calçadão no finalzinho da Capitão Salomão está surgindo um espaço inovador.
Um laboratório de criatividade e ações que tem por objetivo iluminar com sons,sentimentos e cores aquela parte meio degradada da cidade.

O FAROL.
Uma turma de gente criativa e proativa, batalhadores da arte,música,comunicação e diversão tomou conta de um prédio de 4 andares nesta selva de concreto com o objetivo de fazer deste espaço um local de convivência aprazível.
Segundo as palavras deles mesmos fazer festas,faxinas,fotos,filmagens,frilas,fiascos,fumaça..

Um Farol.

É muito difícil explicar o que eu senti na última quinta feira quando eles abriram todo o prédio para que as pessoas pudessem entender o que acontece lá dentro.
O ambiente ficou cheio de gente de todos os tipos.
Altos papos,risadas,conversas,tramóias,laricas,
baforadas,músicas,imagens,sensações...
O negócio é procurar saber o que acontece pessoalmente.
Mas já deu pra ver que é um processo em permanente construção.
E a matéria prima principal são as pessoas.

Nestes links dá pra ter uma idéia do que acontece no Farol:






Vai lá.
Entre.
Conheça.
Compartilhe.




quinta-feira, 24 de julho de 2014

Parada Gráfica



A "PARADA GRÁFICA" é a dica para o próximo final de semana em Porto Alegre.
Feira feita sob medida para quem curte produção gráfica,grafite,zines,revistas e tudo mais relacionado ao tema.
Também vai ser possível assistir palestras,oficinas,bate papo,comidinhas e trilha sonora na medida.
Amanhã tem abertura na Galeria Península com expo do MZK.
Dias 26 e 27 a função toda rola lá no  Museu do Trabalho.
Tudo lá no centrão da Leal e Valorosa.

Hey!!!

Nem só de velharias vive meu mundo de ilusão.
Curte aí:


Os 20 mais 20 anos depois parte 2

Os anos 90 assistiram a consolidação do rap como estilo relevante,trouxeram o auge e declinio do grunge,o surgimento do brit pop e a popularização da música eletrônica.
Também foi a década em que o cd substitui o lp na preferência dos consumidores e as técnicas de gravação digital assumem o controle,facilitando o surgimento de mais e melhores(e piores) bandas.
A MTV se torna o principal veículo de divulgação e a industria do videoclipe se torna tão importante que por vezes a música fica em segundo plano.
No Brasil a lambada,o axé,o sertanejo e a música pop patrocinada pelas rádios assumem o controle do cenário.Paralelamente a esta tendência de mercado o underground nacional(pai do indie) procura suas próprias formas  de sobrevivência através de zines,festivais alternativos,demos em k7 e cd.
Este é o cenário vigente durante toda a década e tem MUITA coisa boa mas como o ano em questão é 1994 vamos a segunda parte da minha análise pessoal sobre os lançamentos musicais de 20 anos atrás.
Segue o baile:

11.Music For The Jilted Generation - The Prodigy.
Em seu segundo álbum o grupo inglês começava a lapidar seu som que misturava batidas frenéticas e guitarras distorcidas.
Oriundos da cena raver dos cafundós da Europa eles eram a nova tendência em termos de som.Com um gênio de estúdio na produção e um vocalista de aparência insana eles preparavam o caminho para tomar o mundo na segunda metade da década.


12.Give Out But Don't Give Up - Primal Scream
Três anos depois de lançar Screamadelica os PRMLSCRM retornam ao mercado com um disco com cara de ressaca pós festa.
Tentando não se repetir eles  repetem antigos truques ao tentar emular os Stones e fazer um rock dançante e moderno.
Mesmo assim o disco é bom demais e traz a presença de George Clinton em uma faixa.

13.Parklife - Blur
A eterna disputa com o Oasis pela coroa dourada do Britpop fez bem ao Blur.
Este disco é uma mistura perfeita de synth pop,new wave,rock,punk.
Com uma postura mais relaxada do que a dos irritantes irmão Gallagher que brigavam demais entre sim e com todos o Blur mostrava que o importante é a música.

14.The Return Of The Space Cowboy - Jamiroquai
Quando ainda era uma banda e não somente a banda do competente porém ególatra Jay Kay o Jamiroquai era bem melhor.
Sua impecável mistura de pop,acid jazz,funk e música de pista foi muito bem balanceada neste segundo álbum em que as mensagens ecológicas deram espaço para viagens musicais com um pé fincado na psicodelia e outro nas paradas.

15.Illmatic - Nas
O älbum de estréia do rapper Nas é considerado um dos discos mais importantes de todos os tempos.
O flow e a abordagem das letras causaram uma mudança profunda na conduta dos nigga e estabeleceu um padrão que influenciou toda uma geracão.



16.No Goats,No Glory - The Goats
Misturando influências que vão de Public Enemy ao funk rock pesado de bandas como Funkadelic e Living Colour este trio da Philadelphia costumava se apresentar com uma banda bem antes de Beastie Boys e The Roots.
Infelizmente não tiveram o merecido sucesso comercial na época.


17.Superrunknow - Soundgarden
Sem dúvida o melhor disco do Soundgarden.
Tanto que foi o disco que lançou a banda ao estrelato.
Sua mistura perfeita de som pesado com o vocal gritado de Chris Cornel tinham execucão  exaustiva nas rádios e na MTV.
Isto no tempo em que este tipo de som rodava muito nas rádios e na MTV.


18.Blowout Comb - Digable Planets
O meio termo entre as letras mal educadas do gangsta rap e o som mais popular que dominava as paradas.
Tudo isso emoldurado por batidas certeiras influenciadas por jazz e trip hop.

19.Grace - Jeff Buckley
Único disco de um artista único.
Simplesmente perfeito!!!

20.The Offspring - Smash
Disco repleto de hits.
Adrenalina pura.
Trilha sonora de um verão perfeito na Guarda do Embaú antes do Paulo Cintura fazer sua pousada para famosos e avacalhar com a melhor praia do nosso mundinho de Beakman.
Muito melhor que o Green Day,inocentes!!!


Esta brincadeira de caráter pessoal é uma tentativa de ser cool fadada ao fracasso desde o início.
É claro que passei o ano de 1994 ouvindo É o Tchan,Chitãozinho e Xororó e outras coisas que vendiam milhões e tocavam direto no rádio que vivia ligado.
Frequentador de pagodes que era não tenho como negar meu passado negro do qual tenho muito orgulho.
Afinal estamos no Brasil e isso era assimilado na marra de tanto que tocava.
Além disso tinha todas as fitas demos de bandas locais e nacionais obscuras que adorávamos na época.
E o próprio som que a gente fazia era sem dúvida o que mais rolava.
Além do mais nem tudo que rolava era do ano de 1994.
Como eu disse é somente uma brincadeira saudosista para ilustrar algumas coisas que se tornaram clássicas com o passar do tempo.
E que embalam momentos que não voltam mais.
Saudável saudosismo musical.

Aquele abraço.


quarta-feira, 23 de julho de 2014

0s 20 mais 20 anos depois - Parte I

Passadas duas décadas é bom relembrar alguns álbuns que tiveram grande rotação durante o ano de 1994 e que hoje podemos considerar clássicos através do olhar deste pobre escriba
Um livre exercicio meio clichê que já vi por aí.
Por não concordar com algumas indicações criei meu próprio ranking:

1. Ill Communication - Beastie Boys.
Os 3 mcs mais branquelos da galáxia mantém o tiro certeiro após o fundamental Check Your Head e atingem o primeiro lugar da parada com "Sabotage". Disco impecável que acrescenta sucesso comercial a uma carreira já consolidada.
Foi durante a tour deste disco que eles vieram tocar no Brasil pela primeira vez.

2. Raimundos - Raimundos.
Um marco do rock nacional em um momento em que ele estava voltando a obter relevância principalmente pelo surgimento da MTV Brasil.
Lançado pelo selo Banguela e sob a batuta do Gordo Miranda os calangos inventaram o forrócore em um disco repleto de palavrões e canções politicamente incorretas no melhor estilo Ramones.


3. MTV Unplugged in New York - Nirvana.
Antes de virar estratégia de mercado para recuperar carreiras decadentes os álbuns acústicos lançados pelo canal de música  norte americano serviu como um interessante laboratório para que as bandas pudessem executar shows diferenciados de maneira intimista.
No caso do Nirvana foi um grande acerto.E também foi o último registro da banda em disco.
Procurando fugir dos hits óbvios após o sucesso incrivel que havia promovido com o lançamento de Nevermind alguns anos antes,o trio acrescido do guitarrista Pat Smear desfilou 14 canções intimistas de maneira verdadeira e vigorosa.
Tendo sido lançado após o trágico suicidio de Kurt Cobain realçou ainda mais toda dor e doçura do emblemático líder do Nirvana.


4. Da lama ao caos - Chico Science & Nação Zumbi.
Chico Science e sua formidável banda tiveram para os anos 90 o mesmo impacto cultural que a tropicália teve para o Brasil nos anos 60.
Eles estavam muito a frente do seu tempo em termos conceituais e revelaram a força regional do baque do maracatu aliado ao rock,dub,funk,jazz,hip hop e tudo mais o que desse para adicionar na receita.
Infelizmente o disco não consegue causar o mesmo impacto sensorial que tive ao assistir um show da banda pela primeira vez.
Mas isso não é um defeito em si pois isso seria impossível de fato.
Um marco da música nacional.

5.The Downward Spiral - Nine Inch Nails.
Melhor disco dos NIN.
Ou pelo menos onde os impulsos claustrofóbicos e autodestrutivos de Trent Reznor foram melhor canalizados.
Alternando momentos pesados e etéreos a banda conseguiu atingir a popularidade que tanto desejava
e teve um vídeo banido da MTV americana.


6.Samba Esquema Noise - Mundo Livre S.A.
Também lançado pelo selo Banguela o Mundo Livre já ganha a audiência pelo esperto nome do disco.
Alusão clara ao momento mais genial da obra de Jorge Ben o passeio por regionalismos ,rock,punk,samba e outras influências mostra a genialidade lírica de Fred 04 a frente da banda com seu cavaquinho eletrificado.



7.Mellow Gold - Beck.
O multifacetado Beck Hansen já mostra neste disco as bases da mistura que viria torná-lo mundialmente famoso: folk,rock,hip hop,música eletronica e uma dose de esquisitice.
Loser é o primeiro hit de sua carreira mas o  álbum traz outras maravilhas no mínimo tão boas quanto:Beercan,Pay no Mind,Nitemare Hippy Girl e Soul Suckin' Jerk.

8 - Muse Sick -N- Hour Mess Age -Public Enemy.
Considerado pela crítica um exemplar pouco inspirado da genialidade do Public Enemy.
Talvez por ser o primeiro lançamento após o sensacional Apocalipse 91 e uma coletânea de grandes sucessos que passava a limpo os 4 primeiros petardos da banda.
Mesmo assim um grande disco que mostra que um PE meia boca é melhor do que muita coisa que foi feita antes e depois dele.

9- Verde,Anil,Amarelo,Cor de Rosa e Carvão -
     Marisa Monte.
Dona do seu nariz e de sua carreira Marisa Monte lançava seu terceiro disco no ano de 1994.
E pela terceira vez consecutiva um disco dela era lançado e ia direto para o topo da parada.
Com produção de Arto Lindsay e dela própria o disco trazia um saudável ecletismo na escolha do repertório alheio e sete composições inéditas da própria Marisa que dava um caráter cada vez mais pessoal a sua música e sua carreira.
Muito bom gosto em tudo.

10- Far Beyond Driven - Pantera.
Brutalidade total do inicio ao fim.
Exceto pela bela regravação de Planet Caravan do Black Sabbath que encerra o disco.
Uma obra prima do metal extremo que mostrava a banda no seu auge.



CONTINUA...


quinta-feira, 10 de julho de 2014

Ultramen no Sesc Belenzinho

Nesta sexta feira as 21:30 a ULTRAMEN volta a SP.
Depois do retorno triunfal aos palcos ano passado a  banda gaúcha volta a fazer show na capital paulista no Sesc Belenzinho.
Os ingressos já estão a venda.

Não podemos se entregar pros home!!!